Volta ao Algarve 2016 - 1ª Etapa

17-02-2016 20:24

Alemão da Etixx-QuickStep bateu Andre Greipel e Jasper Stuyven. Tiago Machado foi o melhor português

Marcel Kittel prolongou hoje o seu idílio com a Etixx-QuickStep, vencendo pela terceira vez esta temporada ao 'sprint', para vestir a primeira camisola amarela da 42.ª Volta ao Algarve em bicicleta.
Desde que se mudou para a toda-poderosa equipa belga, o ciclista alemão, que em 2015 teve um ano para esquecer, com doenças misteriosas e incompatibilidades com o staff técnico da Giant-Alpecin, está a viver uma nova vida no pelotão, tendo recuperado a aura de invencibilidade que construiu em 2013 e 2014.
Hoje, em Albufeira, cumpridos os 163,6 quilómetros desde Lagos, não deu hipótese à concorrência, impondo-se a André Greipel, para conquistar o seu terceiro triunfo da temporada, o quarto se se considerar o triunfo na geral da Volta ao Dubai.
"Sei o que é começar mal a temporada, por isso é tão importante estar a ganhar assim, especialmente num ano em que mudei de equipa", disse um sorridente Kittel depois de cumpridas as obrigações protocolares. Assumidamente confiante, o alemão de 27 anos tirou o 'chapeau' ao trabalho da Etixx-QuickStep - "Ficámos calmos, soubemos organizar o 'sprint', o lançamento foi perfeito" - e confessou que não haveria outra equipa no Mundo onde preferisse estar.
"Não sabia se iria adaptar-me à Etixx. Sempre corri na mesma formação, não sabia se me iria sentir bem, mas no primeiro dia percebi que me entendia perfeitamente com os outros 'tipos'. É bom estar a responder assim à confiança que a Etixx depositou em mim", reconheceu, escusando-se a associar este momento de forma a um eventual regresso em grande à Volta a França, prova na qual ganhou oito etapas em apenas dois anos.
Mas antes da festa de Kittel, houve espaço para outros protagonistas. Ao quilómetro oito, Domingos Gonçalves, inclusão de última hora no alinhamento da Caja Rural, quis mostrar-se diante do seu público e levou consigo Alexandr Kolobnev (Gazprom-RusVelo) e Kamil Gradek (Verva ActiveJet), com os três a conquistarem uma vantagem máxima de oito minutos, que foi decaindo progressivamente à medida que se esgotavam os quilómetros entre Lagos e Albufeira.
O trio pedalou contra os 'gigantes' - Etixx-QuickStep e Lotto Soudal estiveram sempre no comando, numa perseguição gerida ao milímetro, de forma calculista -, passou na frente da primeira passagem na meta, em Albufeira, e foi alcançado quando faltavam apenas dez quilómetros para o risco final.
Anulada a fuga, atribuído o prémio maior ao polaco Gradek (ao passar na frente na única contagem de montanha do dia, vestiu a camisola dos trepadores), cabia às 'suspeitas' do costume lançarem o sempre desorganizado 'sprint', nos ondulantes e técnicos 1500 metros finais.
Duas quedas nos últimos cinco quilómetros não alteraram o que parece estar escrito no guião de cada chegada ao 'sprint' no qual esteja Marcel Kittel neste início de temporada: sob o pano onde se pode ler 'meta', o alemão ergueu os braços, vencendo o duelo germânico com André Greipel (Lotto Soudal).
Melhor no frente a frente entre os dois melhores 'sprinters' da atualidade - o terceiro na tirada foi o belga Jasper Stuyven (Trek-Segafredo) -, o homem da Etixx-QuickStep vestiu a primeira amarela da 42.ª edição, uma cor que só deve transportar até à Fóia, o ponto mais alto do Algarve, onde na quinta-feira termina a segunda etapa, que arranca 198,6 quilómetros antes em Lagoa.
Greipel é segundo na geral da 'Algarvia', a quatro segundos, com Tiago Machado (Katusha) a ser não só o melhor português, mas também o melhor dos candidatos ao triunfo final, ao ocupar a sétima posição, a dez segundos.
 
 

IN: dn.pt

Voltar